30 de out de 2008

As pedras no caminho

As pedras no caminho são muitas. Uma tormenta no deserto. Pessoas mesquinhas, pequenas, inúteis e invejosas. Desdenham de você, emitem opiniões com único propósito de ferir, machucar. Pedras. O que faço com pedras? Recolho e atiro-as longe. Acreditar num sonho é se colocar em perigo. É se tornar alvo do ridículo, do escárnio por parte outrem. Todos me dizem que escollhi um caminho difícil. Se fosse fácil, não teria graça. Continuo firme em meu caminho. Digo até mais, coisa que a maioria dos ignorantes que se preocupam, todos os caminhos levam ao mesmo lugar. Todo ser humano tem o mesmo destino. Todo ser humano morre. Cabe a nós sabermos como desfrutar desta vida plenamente. Cabe a nós nos conhecermos e buscarmos o mínimo de entendimento do mundo. No meu humilde entendimento, escolhi a arte, por ser a manifestação máxima da expressão humana. Escolhi a arte pelo fogo por ser uma coisa que gera em mim um estranho prazer. Algo primordial. Uma madeira gravada à fogo sobrevive até a madeira desaparecer. Se o cedro utilizado nas pirâmides ainda estão lá, creio que o trabalho que desenvolvi é importante. Se as madeiras das pirâmides estivessem pirografadas, quantas histórias não poderiam nos contar? Preciso encontrar mais pessoas que acreditem nisso. Preciso realizar meus projetos concretamente. Não acredito que a solução repouse em fazer "n" peças e ir expor numa feira de artesanato. Acredito que um interessado deve escolher um desenho e ter uma obra só sua, feita da maneira que ele vislumbrou. Até porque, minha técnica demanda tempo.
Imagino um piso de madeira decorado com um grafismo gigante, uma mesa com um motivo pirografado, peças grandes. O problema é que para desenvolver essas peças preciso de tempo e dinheiro. Tempo eu tenho, me falta o dinheiro. Continuo na busca de apoio para o projeto Erenka. Acredito neste projeto, seria uma maneira de ingressar meu nome e meu trabalho no circuito das galerias de arte e atingir o público alvo em cheio. Mas enquanto isso não acontece... Vou vivendo um sonho ruim.
Como digo no perfil do dihitt, fiz a lição de casa. Já tenho por onde me comunicar, o site está crescendo, a arte tem sido cada vez mais valorizada e o que escolhi para fazer não existe igual. A técnica que utilizo para pirografar é inexplorada, tanto aqui no Brasil como no exterior. Por cinco anos, isso foi um hobby. Agora, quero tornar isso meu legado. Ensinar o que faço. Parece que hoje confirmei meu primeiro aluno, para Sábado. Postarei aqui como foi essa experiência.
Bom, preciso voltar ao trabalho e finalizar o site de pirografia, ainda tem muito à fazer. Deixo aqui registrado meu muito obrigado à você que lê essas linhas.