6 de abr de 2009

Tatiana Belinky - A fada das palavras




Esta simpática senhora, que já é nonagenária, é uma das escritoras que mais admiro. Com maestria, adaptou toda a obra de Monteiro Lobato para a televisão. A primeira versão do Sítio do Pica Pau Amarelo, exibida pela extinta TV Tupi, foi uma adaptação em que ela criou, junto com Júlio Gouveia.

Tive o prazer de me emocionar com seu depoimento num programa de tv a cabo, a qual o nome e o canal não me recordo, em que assisti depoimentos de imigrantes russos vivendo em São Paulo. Tanto os imigrantes quanto seus descendentes. Me interessei, pois convivi com um Ucraniano por um tempo, são pessoas de uma inteligência ímpar, despertou meu interesse. Eis que no programa me deparo com ela, Tatiana.

A televisão é ruim, a considero ruim, é muita informação visual e sonora, captamos tudo mas só recordamos fragmentos, quando recordamos. E olha que minha memória é boa. Para as coisas que leio e entendo. Agora, o que vejo na caixa-mágica... Na caixa-mágica fica. Por isso prefiro os livros. Tatiana define os livros da seguinte maneira: "Sempre digo aos pequenos que o livro é um objeto mágico, muito maior por dentro do que por fora. Por fora, ele tem a dimensão real, mas dentro dele cabe um castelo, uma floresta, uma cidade inteira... Um livro a gente pode levar para qualquer lugar. E com ele se leva tudo."

E com ele se leva tudo. Nada mais à dizer. Tatiana Belinky é hoje uma escritora premiada de livros infantis. Não li nenhum dos livros dela, mas pelo que pude constatar acerca do conhecimento que essa sábia anciã possui, tenho certeza que são livros importantes. Se existe uma pessoa em que eu teria dificuldades em controlar a emoção de conhecer, é Tatiana. Eu adoraria tomar o chá das 17:00 com ela. Sou descendente de imigrantes e nunca achei meu lugar nesse mundo. Infelizmente não tive contato com os imigrantes da minha família, a "educação" que me foi passada já sofrera modificação... Por que tenho a sensação de ter nascido em época errada?

Eu me recordo bem da Tatiana ser questionada no programa, tipo: Se você não fosse Tatiana Belinky, quem gostaria de ser. A resposta foi fulminante, sem ao menos pensar para falar. Emília. A boneca-gente. A personagem que ela teve tanto carinho em adaptar para a tv. E que falava o que pensava e fazia o que queria. E era mágica. :)

A mágica da vida se perdeu no ser humano, que busca fora de si respostas que se encontram nos recônditos da mente. Ler, nada mais é do que penetrar a mente de outra pessoa. E existem mentes que são deveras encantadoras. Tatiana é uma delas.

"Porque, para quem sabe prestar atenção em cada pequena coisa que acontece - ou não acontece, é só pensada ou imaginada -, a vida de todos os dias é cheia de coisas bonitas, alegres, tristes, intrigantes, interessantes...É só cada um usar os seus "olhos de ver", sabiam?" (Tatiana Belinky)

Nesta frase, Tatiana me lembra Saramago. "Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara." Sábio conselho.

É isso!

ADENDO 17/06/2013

A escritora de livros infantil-juvenis Tatiana Belinky, de 94 anos, faleceu na tarde deste sábado (15) no Hospital Alvorada, em São Paulo, após 11 dias internada.

RIP Tatiana!

Referências: